Investimentos: O Guia Essencial para Independência Financeira

Coaching: Definição e Princípios
18/09/2017
vender
O que pode impedir você de vender?
30/09/2017

A independência financeira ocorre por meio da obtenção de renda passiva: aquele valor que você não necessita trabalhar para receber, sendo o suficiente para manter as despesas mensais do seu padrão de vida. Existem 4 meios para independência financeira: herança, aposentadoria convencional, investimentos e empreendedorismo de negócios.

  • Consequência #1: Se você não nasceu em família abastada e deseja atingir sua independência financeira antes da terceira idade, restam somente as 2 últimas opções.
  • Consequência #2: Se você está satisfeito com seu emprego e não deseja virar empresário, arcando com todos os riscos, retornos e responsabilidades dessa decisão, a única saída é investir.

Não adianta ficar refém do governo ou do gerente do banco para garantir sua independência financeira. O ideal é o próprio indivíduo buscar o investimento que melhor se adeque a sua necessidade.

Como Realizar Investimentos?

Para investir, você não precisa ter muito: por exemplo, é possível começar com o mínimo de R$30,00 na modalidade programada do Tesouro Direito.

Você precisará de uma conta em uma corretora de valores. As mais conhecidas no Brasil são: a RICO, a XP e a EASYINVEST.

Na prática, investimentos envolvem uma aplicação fixa mensal a longo prazo em certo ativo cuja valorização e juros compostos multiplicarão o capital investido.

Quanto antes você começar a investir e quanto maior a taxa de retorno sobre o investimento você conseguir, menor será o valor dispendido todo mês.

Um bom investimento caracteriza-se por encontrar-se em valor de piso (próximo do mínimo) e possibilitar retorno em forma de curva convexa (exponencial).

Vale lembrar que todo investimento envolve risco. Geralmente, quanto maior o risco, melhor o retorno. Existem ao menos 3 formas de minimizar o risco:

  1. Comprar ativos baratos. Uma forma de comprar ativos baratos é encontrando-o antes de todos enxergarem aquela oportunidade.
  2. Comprar seguros. Seguros são ativos de valorização extrema em situações de crise. Exemplos: ouro, dólar, contrato de opções de venda.
  3. Diversificar a carteira ativos. Varia de acordo com o objetivo e momento de vida do investidor. Lembre-se: não invista somente em uma possibilidade pois você pode perder tudo se o investimento não der certo. 

 

Tipos de Investimentos

A seguir 7 tipos de investimentos financeiros e os aspectos envolvidos, a serem aprofundados em searas específicas pelos interessados no tema:

  1. Ações e contratos de opções: a renda variável; o noticiário impactando nos investimentos; a ansiedade e incerteza perante o destino dos mercados; as possibilidades de retornos assimétricos e exponenciais.
  2. Aplicações de liquidez diária: a poupança; as Letras de Crédito Imobiliário (LCI); as Letras de Crédito Agrícola (LCA); as letras de câmbio (LC); o Certificado de Depósito Bancário (CDB); o Certificado de Depósito Interbancário (CDI); a segurança de rendimento conservador.
  3. Bens colecionáveis e obras de arte: os hobbies; as raridades; as relíquias; as antiguidades; os itens de série; os aficionados; a oportunidade específica planejada.
  4. Empreendedorismo de negócios: o sócio-investidor; o investidor-anjo; as start-ups; o venture capital; o investimento de maior risco e retorno.
  5. Imóveis e fundos imobiliários: a compra de terrenos com potencial de valorização futura; a aquisição de imóvel na planta; os consórcios de imóveis; os fundos de investimento imobiliário (FII); as valorizações territoriais; a baixa liquidez; os aluguéis mensais.
  6. Moedas, moeda forte e ouro: o dólar; o euro; as barras de ouro; a proteção da carteira de investimentos. As bitcoins; as opções binárias; a alta volatilidade e risco.
  7. Títulos de dívida: o tesouro direto; as Letras do Tesouro Nacional (LTN); as Notas do Tesouro Nacional – Série B (NTN-B); as Notas do Tesouro Nacional – Série F (NTN-F); as Letras Financeiras do Tesouro (LFT); a variação da taxa SELIC; a renda fixa.
investimentos

Fonte: Google Images

Um exemplo de carteira diversificada para investimentos pessoais: 30% em títulos de dívida, 30% em fundos imobiliários, 30% em ações, 5% em seguros e 5% em operações de alto risco/retorno.

Existem serviços de análise de investimentos via internet, que indicam as melhores opções de investimento de acordo com seu perfil e objetivo. Entre eles, pode-se citar a EMPIRICUS, a INVERSA e a TORO RADAR.

A Independência Financeira: O Objetivo dos Investimentos

Em termos técnicos, um objetivo de investimentos visando a independência financeira é de atingir o valor de 200x as despesas mensais. Entende-se que com este montante aplicado em um investimento conservador de retorno de 0,5% ao mês, a renda passiva é suficiente para viver sem precisar trabalhar para gerar dinheiro e cobrir as despesas mensais.

Uma estratégia de investimento visando a independência financeira é montar uma carteira com retorno sobre investimento de 12% ao ano e investir todo mês 20% do valor de suas despesas durante o período de 20 anos.

Este cálculo é aproximado e constitui a condição mínima, haja visto que todo ano o dinheiro sofre a correção da inflação. Isso significa que, a cada ano, seu poder de compra diminui, ou seja, o valor do dinheiro é corrigido e passa a valer menos.

Para ter mais segurança, o ideal é conseguir uma taxa de retorno um pouco maior nos investimentos ou investir um pouco mais, por exemplo, 25% sobre o valor de suas despesas.

Investimentos: Atividades Práticas

Realize as 3 atividades a seguir:

  1. Atividade 1: Multiplique sua despesa média mensal por 200 e descubra o valor que você precisa atingir para adquirir a independência financeira.
  2. Atividade 2: Multiplique sua despesa média mensal por 0,25 e descubra o valor médio que você precisa investir todo mês parar atingir sua independência financeira no prazo de até 20 anos.
  3. Atividade 3: Multiplique o valor que você precisa investir todo mês, calculado na atividade 2, por 240. Subtraia este número do valor que você precisa para atingir sua independência financeira, calculado na atividade 1. O resultado será o montante que você irá adquirir pelo retorno dos investimentos e dos juros compostos ao longo dos anos.

Para facilitar sua vida, disponibilizamos uma calculadora de investimentos na aba inferior do site. Ela fornecerá os dados que você necessita para calcular sua independência financeira.

E você, o que achou destas atividades e deste texto sobre investimentos? Poste abaixo um comentário com suas reflexões a respeito.

Precisa de ajuda para chegar na independência financeira? Faça contato com nosso Programa de Autonomia Financeira, e acelere o seu processo.

1 Comentário

  1. […] Essas são opções acessíveis no mercado de investimentos, mas que, na prática, não trazem grandes resultados em relação ao retorno sobre o investimento, pois costumam investir em renda fixa, ETFs e fundos de investimentos. Se a pessoa não deseja aprender sobre investimentos, tudo bem, estes robôs podem ser interessantes. Agora, em termos de retorno sobre investimento, o mais vantajoso é a própria pessoa estudar sobre investimentos e gerenciá-los por si mesmo, o que pode trazer retornos acima da média, conforme explicamos brevemente neste texto sobre investimentos. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *